FANDOM


Lisander

Principado de Lisander
Flag of Lisander.png
Brasão-lisander.png
Bandeira de Lisander Brasão de Lisander
Lema: Bonitas Amor Honor
Mapa Psico.png
Mapa Localização.pngLocalização
Gentílico Lisandeno
Capital Soria
Maiores Cidades Soria, Despina, Sirenia, Kasandora, Salinas
Língua Oficial Português
Tipo de Governo Monarquia Parlamentarista
Chefe de Estado Príncipe Johannes VII
Fundação 26 de novembro de 1485
População Est. 8.150.829 habitantes (Estimativa)
Moeda Lis (L$)
Código (País) LIS

Lisander, oficialmente Principado de Lisander, é um estado soberano insular, localizado no Atlântico Norte.



O país é uma monarquia constitucional parlamentar, chefiada desde o início do século XV pela família Harmin, que surgiu de uma série de casamentos entre famílias de exilados, que fugiam da dominação portuguesa. Atualmente, o soberano do Principado é o Príncipe Johannes VII Harmin, que assumiu recentemente, após a renúncia de seu pai, Pedro IV.

Referência em respeito a seus habitantes, com gastos públicos focados principalmente em educação, externamente Lisander tem reforçado sua posição de Neutralidade, a exemplo da Suíça.

HistóriaEditar

Antes de 1485Editar

Desculpe, nossos arminhos ainda estão a procura dessa parte.

As origens nobres da Casa HarminEditar

.A Casa Principesca de Lisander traça suas mais ancestrais origens até três casas soberanas da Europa Medieval. Os Lancaster de Inglaterra, os Borgonha de Portugal e os Montfort da Bretanha. Através de sucessivos casamentos, como o de Simon VI de Montfort com Mayor Anes Barreto, nos idos de 1260, e depois, no ano 1387, o casamento de Sua Majestade El-Rei D. Dinis de Portugal com Philippa de Lancaster, estas casas chegaram a terras Lusitanas.

Em 1461, o Matrimônio entre a Infanta Fllora de Monforte e Monte Cristo, e o então Mestre de Armas de Portugal, John Rafael de Viana Lobo (Que depois se tornaria herdeiro dos Lancaster de Portugal) selou a união das duas casas. John (escrito na grafia inglesa), era bisneto do Infante Pedro de Portugal (o da Ínclita Geração), o que lhe fazia trineto de D. Dinis de Portugal e Philippa de Lancaster, e tetraneto de João de Gant, Duque de Lancaster. Fllora era trisneta de Simão Tristan de Montfort, este que foi bisneto de Simon VI, Segundo filho de Simon V Montfort e Eleanor Plantageneta, dita de Inglaterra.

O casamento não se manteve, para a infelicidade das casas, mas após anos, as famílias voltariam a batalhar juntas.

A fundaçãoEditar

No ano de 1485, fugindo de perseguições políticas em Portugal, algumas famílias, dentre elas os Monfortes de Portugal e os Viana Lobo (um ramo cadete dos Lencastre), deixaram o reino, pelo Atlântico Norte, rumo a Azhaar, um arquipélago vagamente explorado, conhecido apenas em alguns mapas da Ordem de Azure, da qual os patriarcas e matriarcas das famílias eram Mestres.

A expedição aportou em Azhaar em 26 de Novembro de 1485. No dia 1 de Janeiro de 1487, após um ano e dois meses estabelecendo-se nas pequenas ilhas, os líderes da expedição foram coroados Senhores de Azhaar, e foi assinado um pacto, que garantiria o título de Príncipe de Azhaar ao primeiro descendente que tivesse o sangue das quatro casas.

Nas décadas seguintes, enquanto os laços se fortaleciam, a grande ilha de Lisander começou a ser explorada, desde a baía de Soria até as frias montanhas do norte.

Os primeiros príncipes e o surgimento de LisanderEditar

O casamento de Afonso, herdeiro dos Montfort, dos Casterwill e dos Lencastre, com Elizabeth (Isabel) Algrave, no ano de 1521, tornou-os os primeiros príncipes. Seu primeiro filho, Lisander, foi o primeiro a ter o título de Príncipe de Azhaar. Porém, enraizou-se de tal forma o uso do termo Principado de Lisander, que em alguns anos, Lisander passou a ser o nome do próprio estado.

A era absolutistaEditar

Desculpe, nossos arminhos ainda estão a procura dessa parte.

A constituição de 1817 e a aproximação internacionalEditar

Desculpe, nossos arminhos ainda estão a procura dessa parte.

EuropeizaçãoEditar

Desculpe, nossos arminhos ainda estão a procura dessa parte.

Lisander do Século XXI: Integração e ColonizaçãoEditar

Desculpe, nossos arminhos ainda estão a procura dessa parte.

GeografiaEditar

Lisander continental localiza-se no Atlântico Norte, próxima da Terra Nova (Canadá), de tal forma que alguns geólogos creem que a Ilha de Lisander surgiu de uma partição do Canadá, provavelmente a mesma que originou as Ilhas da Nova Escócia. Entretanto essa teoria é refutada, pois as cadeias montanhosas do Norte não complementam a geografia do país vizinho.

A diversidade de paisagens em Lisander é considerável devido a fatores como as grandes massas de ar que se deslocam pelo país, vindas do sudoeste e do noroeste. O norte é montanhoso, com montanhas de neve permanente, alimentadas pelas correntes glaciais da Groenlândia. O oeste é majoritariamente composto de florestas boreais, com forte incidência de pinheiros. No nordeste e leste, as planícies e campos rasos ocupam boa parte do território. No sul, devido a grande incidência das massas de ar quente vindas do sudoeste predomina o clima mediterrâneo, com temperaturas que chegam em média aos 30 graus, as praias são mais atrativas à população.

DemografiaEditar

EtniasEditar

A população de Lisander é em termos homogênea, com 89% da população considerada de lisandenos étnicos, de origem latina (principalmente portugueses, espanhois, italianos e em menor escala, suíços), residentes no território antes de 1817. No leste, cidades como Porto Gris e Salinas possuem uma grande população de imigrantes irlandeses ou britânicos, que juntos somam cerca de 8% da população. No oeste, em algumas cidades, há forte população de franceses e franco-canadenses, que juntos perfazem 3% da população da nação.

Ocupando, a grosso modo, a costa leste do país, os ingleses e seus descendente constantemente entram em confronto com lisandenos Étnicos e Irlandeses, por questões culturais e religiosas, enquanto os últimos não ofereceram resistência e aceitaram tranquilamente a miscigenação e a adaptação cultural. Lisander foi um dos primeiros países a reconhecer o Estado Livre da Irlanda.

ReligiãoEditar

Lisander foi, desde a fundação, um estado sem religião. Dos quatro fundadores, dois eram Aristotélicos e dois eram Averroístas. Templos e Mesquitas convivem geralmente sem problemas. No último relatório de população, 43% das pessoas declararam-se Aristotélicos, fiéis a fé de Jah Altíssimo e 36% se declaram Averroístas, seguidores dos desígnios do Único. Livres pensadores e Sem-Religião são cerca de 10% da população, ateus os outros 10%.

Com o pensamento moderno e a espiritualidade, acredita-se fortemente que Jah seja o Único, o Único seja Jah e por aí vai.

PolíticaEditar

Lisander é, desde 1817, uma Monarquia Constitucional, e desde 1899, uma Democracia Parlamentar. A política interna do principado é marcada por um forte nacionalismo de cunho social, tendo como motivação principal atender as necessidades da população. Lisander está atualmente no grupo de 10% das nações mais seguras do mundo¹, devido à política social do país, que, nos últimos anos, tem focado majoritariamente na educação.

Atualmente, o Monarca reinante em Lisander é o Príncipe Johannes VII, que ocupa o cargo desde setembro de 2013, após a abdicação de seu pai, Pedro IV. Johannes já havia sido regente de Lisander desde Janeiro, quando Pedro sofreu um acidente automobilístico que o deixou impossibilitado de atender seus compromissos como soberano. O monarca de Lisander detém o poder moderador, agindo como juiz supremo de todas as decisões governamentais, ratificando e propondo leis, além de poder promulgar decretos à sua vontade. Entre suas atribuições, estão ainda o comando formal das Forças Armadas. A forma de tratamento completo do atual soberano é: Sua Alteza Soberana D. Johannes VII de Harmin, Príncipe-Soberano de Lisander, Duque de Grandeville, Conde de Soria, Senhor de Azhaar.

ParlamentoEditar

O Parlamento de Lisander é unicameral, tendo sido separado do Conselho da Nobreza pelo Decreto 62/1972. Formado por 140 representantes de Lisander continental (o número de representantes difere entre cada província, baseado na população), eleitos a cada 3 anos.

Até 1972, o Parlamento era Bicameral, com o Conselho da Nobreza tendo os mesmos poderes da então Câmara dos Comuns. Com o Decreto 62 deste ano, O Conselho dos Nobres passou a ser uma instituição ligada à coroa, porém abaixo do novo Parlamento Nacional em termos de criação e aprovação de leis. Hoje, as leis do Conselho da Nobreza só são válidas para quem detém títulos nobiliárquicos. Leis que valham para todos os cidadãos precisam passar também pelo Parlamento.

O fim dos partidos e o surgimento das Bancadas Editar

Bancadas de Lisander.png

Em 2014, foi aprovada a lei que extingue partidos políticos em Lisander, substituindo o voto em lista por voto em candidatos individuais, tornando a campanha política individual e aproximando os candidatos dos cidadãos. Não há financiamento público de campanha. Desde então, os parlamentares se agruparam em bancadas não-partidárias.Associações partidárias são proibidas. As bancadas que são proibidas de fazer campanha política, ceder imagem, apoio político e influência para candidatos. Se o fizerem, podem ser extintas por partidarismo e ter seus mandatos retirados.

Ligações Externas Editar

|}

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória